Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Hoje pela manhã assisti a chuva, já que o sol se negou a me visitar, tomei meu café quente na expectativa da frieza do meu coração diminuir, vidrei meus olhos nas nuvens e meus ouvidos se perderam pelo vento que aos poucos fazia com que minha roupa fina se deslizasse pelo meu corpo inerte na cadeira. Senti o silêncio me explicar coisas inexplicáveis, e finalmente entendi o motivo de momentos tão nostálgicos e deprimentes, o porquê de uma postura tão firme, tão severa comigo mesmo e movimentos taciturnos, era a minha alma. Ela havia me deixado, como as outras pessoas que diziam me amar e estar comigo pra sempre fizeram.
Muitos acreditam que quando se sabe da verdade as coisas são menos dolorosas, mas para mim isso nunca fez o menor sentido. Necessito de uma afirmativa, mesmo que mentirosa, de que tudo vai ficar bem, de que a chuva nem sempre vem para nos banhar em tristeza e sim para lavar nossa alma, só que ultimamente parece que a água que respinga e pinga, que bate e rebate do céu nublado e tristonho só vem me fazer doer. É como se a minha alma, se ela existir, estivesse dispersa mundo afora e não se importasse em voltar, é como estar morta. Tu vê todos, sente a presença alheia a lhe observar e fica feliz em saber que alguém percebe sua existência, mas quando se põe no eixo repara que não passa de meros delírios, pois ninguém além de ti, consegue lhe enxergar.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Pensei estar sucumbido em mais delírios sufocantes dentro de meu quarto mórbido, enquanto trovejava, e os trovões se distanciavam, porém seus gritos ainda me ensurdeciam, eu me perdia em suor, em medo, em tudo. Voltei à minha infância quando os monstros debaixo de minha cama se sacudiam durante as madrugadas, só que agora eles se manisfestavam dentro de mim. Com minhas mãos trêmulas, acordei o despertador que dormia num silenciar e quando enfim despertou, soou uivos por toda a casa. Lutando bravamente abri os olhos que insistiam em se manter fechados e comprovei acordado que os monstros não tinham medo da luz, eles estavam ao meu lado, segurando minha mão e assistindo o nascer do sol.
O tempo estava frio e chuvoso, mas nossos corpos anunciavam um despertar vulcânico, as cinzas que engoliam o céu naquela noite, sentia desejo de engolir tudo mais que cruzasse seu caminho. Tomamos vinho nas taças límpidas e reluzentes, de um brilhante quase que estelar, depois as quebramos, uma por uma. Vimos o vermelho sangue descer de nossas bocas e a sede aumentava, o calor nos conduzia a abertura dos portões do inferno, algo tomava nosso corpo e torturava nossas almas. Vimos o apocalipse ter início.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Roses are red
Violets are blue
Love are sweet like sugar
Dead are inevitable.
Eu nasci.
Eu cresci.
Eu vivi.
Eu sofri.
Eu cai.
Eu chorei.
Eu morri.
Eu admirava as gotas de chuva que caiam levemente e se espalhavam bruscamente pelo chão, eu tentava entender porque alguns pássaros voavam para o norte e outros para o sul, eu apreciava a vida, até que num dia precisei conhecer o amor, me falaram que era um tal de amadurecimento, nos conhecemos. Por fim, ele, o amor, partiu e levou consigo alguns pequenos pedaços do meu coração, a partir daí eu já não mais admirava o chorar dos céus, até porque já era um peso imenso apreciar somente o meu. E isso se fez por vários dias, por muito tempo e sabe, chega uma hora em que quase não é possível viver sem uma parte de si, a principal delas, e tu decide pela última vez buscar algo novo, porém por um motivo aceitável, tu pensa que morrer é a melhor saída, só que a morte não acha o mesmo. Então ela se senta numa cadeira e assiste o show de tortura que tu proporciona a ti mesmo na esperança que a morte tenha dó e te leve. Até que um dia tu seja feliz e ela venha...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Nos dias de inverno me pergunto constantemente o porquê de tudo. Por que as pessoas precisam tanto de seus relógios digitais, se a Igreja ainda insiste em nos avisar o toque de cada hora? Por que necessitam tanto daquelas máquinas hiperinteligentes, que lhes aflora vício e problemas de visão, se temos o bom e velho jornal?   Por que essa necessidade de.. De.. De tec.. Enfim, pra quê deixarmos de lado o que antes era uma necessidade vital? Se voltarmos há um tempo atrás, não precisávamos de mais nada sem ser nosso café quente e forte, e nossas novelas de rádio, aqueles a pilha. O que acontece é que o homem aos poucos foi destruindo seu passado, aterrando suas origens e hoje essas perguntas crescem de forma assustadora dentro de mim. É triste saber que todo um passado de glória e descobertas foi esquecido ou até mesmo, nem chegou a ser descoberto na atualidade.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Eu quero uma xícara de café quente.
Eu quero um amor que haja como água ardente.
Eu quero uma felicidade contundente
Eu quero um sonho que me mostre levemente
A realidade que reside em minha mente
E que me deixa impotente
Para tentar fazer o café quente.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Essa será mais uma de minhas histórias dramáticas, por favor, sente-se e ouça meus relatos sobre.. Sobre uma moça pela qual destinava seus caminhos a incessante busca por um amor, ou por algo perto disso. Ela era fria, insensível, coração duro que doía a alma, mas por dentro. Ah por dentro, ela era tão meiga, tão clara. Todos sabiam que sua imagem carrancuda era apenas uma capa, era o casco de uma tartaruga, era o saco aonde ela guardava tantas decepções, tantas dores e ilusões. Julgavam-na egoísta, pobre coitada. Se ousasse sair pela rua, na certa ela seria apedrejada, mas essas má línguas não sabiam que ela não sabia o que realmente acontecia, sim, era isso durante todo santo dia. Não possuía espadas, não tinha um tridente em mãos, mas o egoísmo e a frieza seriam seus únicos irmãos, na guerra. E por fim, já deve imaginar, aquela linda donzela sempre se pusera a chorar, porém num dia resolveu aquilo mudar e então as lágrimas cuidou logo em secar. Mas no fundo, no fundo, mesmo apedrejando-a, mesmo insultando-a todos sabiam e viam que ela só precisava de alguém para amar.
Seria apenas mais uma história de amor banhada de dores, de lágrimas, de quereres mais do que se tens, porém o autor do livro resolveu queixar-se porque de tanta fúria, porque de tantos contextos iguais, porque de amar e não ser amado. Não era justo! Os personagens lutavam entre si em busca do papel principal, isso já era de se esperar.. Todos já tinham sido mendigos imundos, ricos malévolos, pobres mesquinhos, porém ninguém nunca fora mocinho de bom coração, ninguém nunca se encaixara naquele papel.. Até que.. Até que dentre todos os homens que lutavam por um papel feliz (mesmo que fictício), havia um que jamais ousara mover um dedo pela guerra. E enfim o autor descobriu que sim a bela muitas vezes pode se esconder na fera.
Lhe causou ódio,
lhe causou fúria
lhe causou angústia
lhe causou medo.
Lhe causou receio
lhe causou espanto
Lhe causou inveja
lhe causou fobia.
Quando por amor
Alguém sorria.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Teu amor
Me conforta
Meu amor
Te preenche.
Teu amor
Não esgota
Meu amor
Que te esquente
Teu amor
Quando brota
Meu amor
Ainda é semente.

sábado, 19 de novembro de 2011

Eu sei o que é o vazio, eu sou vazia. Eu sei o que é estar no meio de meio mundo e se sentir inútil no meio deles, se sentir sem importância. Eu sei que nesse ano não consegui ser feliz por dois dias simultâneos, mas não foi por falta de tentativas e sim de motivos. Bom, eu sei de muitas coisas.. Mas nunca consegui saber o que me deixa assim, fraca, oca, tristonha, frágil, uma marionete da melancolia e talvez você saiba que, meus sorrisos são ensaiados durante as noites de insônias e as vezes em que disse que tudo estava bem, é porque estava sangrando e doendo tanto que senti medo de deixar que todos vissem aquele massacre.

domingo, 13 de novembro de 2011

Sim, eu sei de tudo que está acontecendo contigo, sei que esta dor está lhe consumindo e fazendo com que tudo ai dentro apodreça, mas não desista. Agora tu vai me perguntar, qual o motivo para eu não desistir? O motivo é que para sermos felizes precisamos de tristeza, de melancolia e tu estás aprendendo o que é isso.. Tu não irás morrer por amor, nem por perdas, tu ficarás fraca ao ponto de não conseguir se levantar da cama, mas uma hora tudo isso irá passar. Enfim, tu terá aprendido sobre a tristeza e já estarás preparada para a partida da tua felicidade, sem ao menos ela ter chegado.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Decidi me dar um tempo, pegar uns dias do mês e tirar férias de mim, sumir dessa onda de caos, desses choros contínuos, dessa dor incessante que habita em meu peito. Eu quero fugir para onde nem o sol possa me encontrar, quero ser tudo aquilo que não pude,posso ou poderei, quero fazer tudo que a tristeza impede de ser feito, quero apenas acordar, me olhar no espelho e não ouvir meus olhos dizerem que será mais um dia de sofrimento. 

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

  Carolina, aquela pela qual destinei meus pensamentos mais insanos, meus sentimentos mais profundos, minhas dores e insônias mais agudas, meu amor mais sincero e verdadeiro. Aquela que ao andar contra o vento causava uma explosão nuclear e alucinante de movimentos doces e encantadores, que por vezes congelaram meu olhar e cessaram minhas palavras. Ela emudeceu minha voz, aumentou o meu silêncio, fez com que meu nervosismo inundasse quarteirões de suor, dominou completamente meu ser de uma forma tão rápida porém tão devastadora. 
  Carolina, Carolina, és tão bela e tão menina, és tão fria e tão cruel, és a luz de meu caminho e as estrelas de meu céu.
Eu precisei ler inúmeros livros para ao menos conseguir definir esperança, para ao menos ter uma noção do que era. Eu precisei cair ao invés de tropeçar para que talvez assim alguma semente esperançosa penetrasse em meu corpo. Pois bem, num certo dia algo muito maior que minha pequena e frágil esperança se chocou contra mim e não só caí, como me desfiz em mil pedaços. E todas aquelas sementes que haviam brotado em mim, sumiram, e toda aquela esperança que custei a aprender, havia sido levada embora como folhas de árvores caídas ao chão que são carregadas pela força dos ventos.

sábado, 29 de outubro de 2011

Queria achar uma maneira de me libertar dos vícios, da melancolia constante, dos choros contínuos, da mágoa incessante. E estás errado tu, se achas que isso são meros relatos, meras palavras, meros fatos, mas não são. Minha realidade é assim e acostumei que ninguém nada fará por mim.
Tu não chora, mas também não sorri, tu não é frio, mas também não é quente, tu não dorme, mas também não acorda, tu não ama, mas também não é amado, tu não vive, mas também não morre. Tu és assim, uma metáfora, um conto, uma pá de vazios que por dedução sabemos que esses vazios são contraditórios e por ironia tu também és.
Eu não sei amar
Me contento em sofrer
Talvez por medo de errar
Eu nunca aprendi a viver.
Me prendi perdi num voar
De aves no anoitecer 

Mudando então o olhar 
Percebi que até seria mais fácil morrer.
Tentei então sem fé me jogar
No abismo do "eu não ser"

Constatei sem muito me esforçar
Que a vida algo tinha a me oferecer.
Entregando meus pensamentos ao ventar
Senti logo ao amanhecer
Que estava começando a traçar

Um rumo do que eu devia ser.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Me permita fazer uma reza mesmo que seja sem fé?
Me permita entrar descalço, assim, sem nem mesmo limpar o pé?
Me permita viver, morrer e partir quando quiser?
Me permita gritar, estremecer e tomar um café?
Me permita sangrar em silêncio, Zé?

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Senti horror profundo quando enfim
Olhei para o mundo.
Fiquei sem reação 
Resolvi orar para algum São.
Impiedade teve então
Me deixou na solidão
E não ousou estender uma mão:
Não merecem o meu perdão, disse o velho rindo então.
Tive um lapso de memória no segundo, quando enfim
Olhei para o mundo.
Insegurança que domina
A alma que abomina
Os anseios de Carolina.
Mas se achares na esquina
A vida de tal menina
Numa caixinha inquilina
Por favor, não a entregue
Para escuridão matutina.
”- Eu não quero mais nada que seja teu! -ela disse com acidez e frieza e com a mesma frieza jogou-lhe o coração ao vento- 
Ele pensou: - Do que adianta jogar o baú de lembranças fora, quando todas as lembranças já estão guardadas na mente? -e ele com os olhos lacrimejando fez um meio sorriso e foi embora.”
“Morri de morte súbita.
Morte proferida.
Morte adiada.
Morte sentida.
Morri pela morte do amor.”

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

  A vida nos ensina muitas coisas, mas cabe somente a nós sabermos como usar de tanto ensinamento. Colocamos em prática o que aprendemos ou continuamos a fazer aquilo que achamos certo? Hoje por exemplo, aprendi que não importa quão grande o teu tamanho, isso será apenas uma embalagem que ao passar do tempo perderá seu valor, enquanto o que se encontra dentro dela durará para sempre, mas é claro, se for preservado.
 Sabe, nós somos humanos então nem sempre aceitaremos condições impostas pela vida, e se aceitarmos não as cumpriremos. Temos nossos medos e talvez o pior deles é acharmos que temos um limites, que não conseguiremos arcas com responsabilidades, é achar que somos fracos. Pois bem, não somos. Nossos limites vão além do que nossos olhos podem ver, nossas responsabilidades a cada dia mudam de nível e felizes são aqueles que alcançam o "hard", sem antes ter ficado um bom tempo no "easy". 

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

E agora que o teatro fechou as portas, o que mais farei eu para me manter de pé? Quem mais irá assistir as minhas criações bizarras de drama? Aos meus personagens suicidas, expulsos dos padrões impostos pela sociedade? O que irei fazer com esse roteiro de vida que resolvi expôr? O que farei para com que a saudade da tristeza não me venha fazer visitas? Diga-me, o que farei?
Por isso lhe peço encarecidamente que abra as portas da teatro e me deixe usufruir do único amigo que ainda possuo.
Por quanto tempo mais chorarei pelo menos motivo? Até quando o meu café será amornado com a frieza de meus dedos e salgado com os litros de lágrimas choradas? Talvez quando eu deixar de amar isso aconteça, talvez quando eu reparar que estou sempre a amar andar pelo caminho errado. Ou talvez, até, seja minha sina, meu consagrado destino, talvez eu esteja pagando por meus pecados aqui na Terra, talvez alguém tenha me condenado à uma tristeza temporária e achou tão magnífica a minha postura que resolveu prolongá-la a permanência.
 Por favor, me entregue toda aquela felicidade que um dia recusei de ti, todo aquele amor que esnobei e joguei no lixo, todas aquelas palavras que tapei meus ouvidos para não ouvi-las. Mas se tu resolveres que será melhor deixar-me ser consumida pela dor e tristeza, que assim seja. Só não cometa o mesmo erro que eu.

sábado, 10 de setembro de 2011

  Chega uma hora em que tu decide jogar tudo pro alto, desiste de quebrar a cara, desiste de sofrer, desiste de passar pelas mesmas ruas e sentir um deja vú, mas depois infelizmente tu se lembra que não pode e esse não poder lhe traz ainda mais vontade de desistir. É um ciclo sem fim ou talvez não. Tudo pode ter um fim, a partir do momento que damos um início, uma evolução e como a lei da vida manda, damos uma morte e essa morte pode carregar nossa coragem de ainda não ter desisto, até porque nada permanece em nosso corpo pra sempre. Pois bem, toda essa filosofia barata de almanaques possui algo interessante.. Ela nos ensina que por mais que todas nossas forças acabem e nossa coragem também, temos que continuar de pé pra quando nosso dia de partir chegar, termos cumprido tudo que prometemos. 

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Me disseram que a indisciplina era coisa de marginais, provei o contrário. Me disseram que acidez nunca poderia ser juntada com o adocicado, provei o contrário. Me disseram que xingar era o pior crime que alguém poderia cometer e mais uma vez provei o contrário. Mas em uma certa vez, me disseram que o amor era sinônimo da dor e quando consegui provar o contrário todos deixaram de acreditar que as coisas são como são e sim que elas são como achamos que devem ser.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

 Eu posso me recordar detalhadamente daquela mórbida tarde, daquelas xícaras de café transbordando rebeldia por toda casa, daquele carpete manchado por lágrimas ferozes, daquelas garrafas de bebidas vazias que de tão vazias ecoavam o som de meus passos. Enquanto caminhava por aquele cenário grotesco de uma bela estória de romance aonde o mocinho termina com a donzela e o vilão termina nas colinas de um Vale Distante, pude perceber o quão diferente estava aquele lugar. Havia sido tomado pela tristeza, pela mágoa, pelo rancor e todos esses sentimentos permaneceriam por lá durante muito tempo, nem mesmo a mais radiante felicidade e a chama mais aguda da luz poderia mudar a aparência morta daquela casa. As flores murcharam, o chão se tornou mais forte que pedra, as paredes tinham como tinta o sangue derramado de alguém que tanto se importou com aquele lugar.
  Quando deixei aquele mundo pensei que ele seria preservado da mesma forma que as minhas lembranças também seriam, mas me esqueci que deixei tudo aquilo nas mãos de alguém que forçou a minha partida, de quem causou a minha morte.

sábado, 3 de setembro de 2011

Eu queria muito saber como agir diante de tudo isso, queria ser forte e fingir que não estou sangrando intensamente por dentro, fingir que todo esse sofrimento é invisível e não me atinge, porém não sei como e nem se soubesse não seria capaz de agir de tal maneira. Sabe aqueles dias de sol? Aqueles dias em que nada pode nos tirar a felicidade? Pois é, faz algum tempo que não sei o que é isso, tempo o bastante que nem me recordo mais como é ser feliz.. Consegui esquecer. O que me resta agora é aprender a conviver com toda essa tristeza que me devora e insiste em me habitar e isso não é tão difícil de ser aprendido e posto em prática.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Quando tu se perderes no meio da escuridão saberás o que fazer? Pra onde ir? O que dizer? Não vá. Não agora, espere mais um pouco; Talvez essa calmaria seja só um momento e o caos logo mais chegará e levará consigo a paz e a clareza da nossa mente. Por favor não parta agora. Espere o soar dos sinos, ou não espere, mas fique. Não quero lhe buscar mais uma vez naquele abismo de ilusões. Não vá.
Estive me abstendo por uns tempos de tantos dissabores, fugindo da displicência e fingindo ser/estar feliz, era notável a minha mentira e bastante intrigante o meu teatro. Pois bem a tal da intransigência tomou meu corpo e minha alma, decidiu me habitar e reinar sobre mim. Parei alguns instantes e fiz uma leve introspecção, destaquei aqueles sentimentos supostamente felizes e medíocres e os joguei na prateleira, deixei mais lugares às minhas mórbidas tristezas e às esdrúxulas lembraças, tais quais que me trazem alucinações constantes durante as noites chuvosas. Decedi encerrar todo esse ciclo mentiroso e voltar a ser o que eu era. Em minutos uma eclosão. Em minutos uma aparição aparentemente abatida e cansada sobre meu espelho. Em minutos alguns piscares de olhos e uma respiração ofegante. Em minutos reparei que estive tentando ser feliz em frente ao espelho para ver se de alguma forma aquela caricatura destorcida mudaria. Pois bem, ela não mudou.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Tem momentos da sua vida que você não sabe quem te faz bem e quem te faz mal, mas você continua ao lado dessas pessoas simplesmente por não ter com quem ficar. É eu estou passando por isso, não sei ao certo o que está me fazendo mal, mas eu decidi me afastar de tudo e de todos por algumas semanas. Se eles conseguem ficar sem mim, porque eu não conseguiria ficar sem eles ? Eu não quero receber ligações, pouco menos efetua-las, quero me manter o mais longe possível de qualquer meio que meu cause ainda mais dor. Eu estou tirando férias do sofrimento, mas o lado ruim é que eu terei de voltar.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Eu sei que pra você tanto faz o fim que tivemos e eu sei que por mais que eu insista será em vão. Eu sei de tudo isso, mas o pior é que tento não saber, tento jogar o passado debaixo do tapete, tento fechar os olhos e imaginar tudo nos seus devidos lugares, é, eu tento bastante. Eu vejo tudo a minha volta prosseguir ao decorrer do tempo, mas parece que continuo no mesmo lugar, eu me vejo andando ao redor de minhas dores, mas ao mesmo tempo me sinto tão parada que parece que só afundo mais e mais. São memórias eternas, são sentimentos permanentes, dores eminentes e cicatrizes profundas e parece que tudo que nos separa anda contra nós. Nos encontramos por ai e nessas horas eu tenho que parar de tentar, porque são nessas horas que me dou conta de que não estamos mais juntos, pois não andamos mais na mesma direção. Eu tenho que parar de tentar viver o passado, por mais difícil que isso seja.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Quer saber, eu estou cansada de fazer pouco de minhas palavras, de relatar história de gente triste e ninguém me ouvir, de chorar ao escrever um de meus textos dramáticos, enviar ao causador das lágrimas e receber um esc tão frio. Sinceramente eu já estou farta de tudo isso, de nada do que faço ser reconhecido, estou cansada de ter o mesmo contexto em minhas histórias, depressão, vodka, cigarros, amores não correspondidos. É difícil deixar minhas raízes, porém não impossível. Sei lá, estou a fim de descobrir novos gostos, novas essências, novos rumos, porque na real o que agrada são só mentiras, mas a nossa bela realidade é jogada num desses valões da vida. Porém pensando bem, as minhas raízes contam a verdade de tudo ou de quase tudo, a única coisa que permanece igual é que tanto a verdade quanto a mentira relatam as mesmas coisas, porém com finais diferentes. A realidade baseia-se em um amor não correspondido, porém superado com uma garrafa de vodka com um maço de cigarro e horas constantes de choro, e a mentira.. Sua vida melhora quando você encontra o cara certo. Colé, desencanem, ninguém é certo o bastante pro seu problema.
Sabe o que é mais ridículo ? Quando você precisou de mim eu estive aqui, eu dediquei quase todo meu tempo para cuidar de você, para lhe aconselhar, eu dei mais valor a você do que a mim. E como fui agradecida ? Com crises de infantilidade, com discursos hediondos de gente hipócrita, com suas explicações de quinta, com suas palavras ironizadas. Olha lhe agradeço profundamente por me retribuir assim, sabe porque ? Porque eu aprendi que não é com qualquer lixo que devo me preocupar e que é um grande desperdício perder meu precioso tempo com um idiota. É meu amor, a sua vaga de gentinha medíocre está garantida há muito tempo, mas custei um pouco a perceber.
1 bg pra um certo alguém :*

domingo, 26 de junho de 2011

Sente-se bem aqui e diga-me o que deseja tomar, uma dose de vergonha na cara ou um copo de  surras ? Quando escolher o que preferir junte a uma pitada de mentiras, misture tudo com uma colher a gosto de sofrimento, bata tudo no liquidificador e terá um grande problema em suas mãos. Não esqueça de acrescentar leve gotinhas de choro. Você estará saboreando o que eu saboreio há 14 anos.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Chega ao fim mais um mês de maio, mais um mês frio e depressivo aonde me encontrei em consumo constante de cafeína para que minhas dores pudessem ser de alguma forma adocicadas. As poltronas velhas e surradas, o tão belo carpete encontrando-se já em ruínas, as janelas com os vidros já embaçados do frio lá fora, o coração mais uma vez com uma ferida para cicatrizar, mais um típico final do mês de maio. Estou saboreando de novo aquele gosto agridoce, aquela água transparente que sai de meus olhos quando sinto meu coração frio, o que ela seria ? E porque isso só acontece quando me lembro de que alguns dias atrás eu tinha alguém para chamar de meu ? É difícil de aceitar, mas ao fim desse mês de maio fui tomada pelo choro e pelas lembranças de um passado que não voltará mais.

terça-feira, 14 de junho de 2011

Olhe para dentro de você e me diga se está tudo bem, me diga se tudo ai dentro está como você diz. Pegue nas minhas mãos, olhe nos meus olhos e me diga se você está realmente feliz. Você teria coragem de mentir pra mim ? Então minta, minta e me satisfaça com uma mentira que me deixará feliz, mas não minta pra si mesmo. Não se sufoque por algo que não tens coragem de acabar, não abra mão da tua felicidade pela dos outros, não desista de teus sonhos porque não tens quem lhe dizer: - vai em frente, você consegue. Se olhe no espelho e veja se é essa imagem que queres carregar pelo resto da tua vida, se dedique somente a você porque os outros são só outros. E sabe aquela história de que é eterno ? Não acredite, nada nesse mundo é eterno, tudo um dia terá um fim, por mais que você não queira. Aprenda a arte do desapego e pratique-a, porque na vida, você terá que usar muito desse aprendizado.
São apenas conselhos de quem nunca teve coragem se quer de olhar para dentro de si mesmo.

domingo, 12 de junho de 2011

O que te faz feliz ? Escrever te faz feliz ? Pois bem, pegue um caderno, tenha uma caneta em mãos e encha-o de sentimentos, palavrões, críticas, apelos, declarações, encha-o e sinta-se feliz. Cantar te faz feliz ? Então cante a qualquer hora, cante na madrugada, acorde a todos e incentive-os a cantar também, cante no chuveiro, cante nos teus sonhos, mas não deixe de cantar. Amar te faz feliz ? Ame com todas as suas forças, não dê ouvidos a ninguém apenas ao teu amor, se entregue ao amor e seja feliz.
O que te faz triste ? Escrever te faz triste ? Pois bem, continue a escrever, ponha tudo aquilo que nunca pode pôr pra fora, escreva em todas as línguas e em todas quantidades, quando achar que está de bom tamanho o que escreveu leia. Ficará feliz por ter posto tudo pra fora ? Ou ficará triste por ter posto "aquilo" tudo para fora ? Cantar te faz triste ? Então cante as músicas mais tristes e depressivas do teu repertório, mas ao final delas perceba uma coisa. Você estava cantando, você estava gritando e expondo ao mundo o que sentia. Você estava sendo percebido. Amar te faz triste ? Amor tem como rima a dor, daí você pode tirar suas próprias conclusões.
Uma coisa é certa acima de qualquer outra. Viver te faz feliz e sempre fará, então viva intensamente.
Por favor não me venha com tuas peças teatrais aonde o tema é sempre dramático, não me venha com aqueles teus apelos destrutivos e juras de morte. Cresça, se levante e talvez quem sabe me procure. Invente, mude, crie, mas não copie aqueles diálogos infernais que tu insiste em proferir quando brigamos. Largue os vícios e os critique, continue com eles e não concorde, ou simplesmente se mantenha calado, não ache que criticar aquilo que tu usa vai te trazer o caráter que perdeu. Vista, ou não, grite ou fale baixo, ande depressa ou fique parado, mas não me dê meias explicações, não me responda com meio termo, o meio não existe. Tenha medo e deixe com que todos saibam ou não tenha, só não finja ser um super herói de gibis infantis, não leve pessoas para teu mundo ilusório, não faça delas o que tu fez de mim. Brinque com fantoches ou com vudus, mas não confunda os dois. 8 ou 80, cara ou coroa, certo ou errado, céu ou inferno, Deus ou diabo. Você ou eu. Desculpe, mas entre assistir todos os dias a mesma peça com os diálogos já decorados preferi criar minha própria peça e inventar os meus próprios diálogos. É a minha vida e você não fará mais parte dela.
Beijos :* 

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Quero alguém que tenha teu jeito, tuas manias, teu hábitos, teu sorriso, teu choro, teu colo, tuas palavras de conforto, tuas palavras de força. Quero alguém que use o teu perfume, que durma ao meu lado do mesmo jeito que tu dormia, que brigue comigo do mesmo jeito que tu brigava. Quero alguém que faça um café igual ao teu, que me dê bom dia da mesma forma que tu me dava, que me puxe pelo braço e me abrace. Quero alguém que possa me despertar desse sonho e fazer com que aquela imagem que eu tenho tua, se torne realidade.. Mas não quero você.
Se você mente é mentiroso, se fala a verdade é frio, se chora é dramático, se ri é irônico, se corre é apressado, se anda devagar é lerdo, se usa roupa preta é satânico, se usa roupa branca é do candomblé, se usa roupa curta é vadia, se usa roupa grande é velha, se xinga é mal educado, se fala certo é idiota. Vamos passar a fazer o que quisermos, já que para sociedade nada é bom demais pra ser aceito.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A vida é baseada em rotulações, em limites, em "não poder", "você não tem idade", "não é certo" e se eu disser que não obedeço as regras impostas a mim ? E se eu disser que eu imponho os meus limites ? E se eu mandar a droga das regras e dos limites irem se danar ? E se eu convencer a todos que a idade é apenas um número e o que realmente importa é o que se esconde por dentro de você ? Será que ainda assim terei limites impostos ? 
Me aqueça nos dias frios, me esquente ainda mais nos dias quentes, me faça chorar de rir, me cause medo de madrugada, faça chocolate quente e assista o filme que eu escolher, entenda os meus problemas e desabafe sobre os teus. Ria das minhas piadas, entenda minhas frustrações, me ensine a largar meus medos. Me dê a mão, me abrace, beije-me a testa, fale eu te amo ao pé do meu ouvido, sorria quando me ver, se sinta mal ao me ver mal, não me deixe cair, me segure quando eu tropeçar. Me ensine a nadar, me ensine a cantarolar, reviva os tempos de infância ao meu lado, se torne meu amigo, não queria só meus beijos, não queria só os bons momentos, não queira achar que não preciso disso que pedi.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Eu não pedia muito, aliás eu nunca pedi muito, eu só pedi provas que me comprovassem de que eu não estava vivendo em um mundo ilusório. Eu só queria ouvir além daqueles gritos de dor, eu só queria ver além daquelas almas frias e destrutivas, eu só queria achar que isso tudo era apenas mais um distúrbio de psicoses..  É inevitável não caminhar em direção a um abismo de delírios, de assombrações que ao entardecer carregam teu sono, acordam teu medo e te despertam a insegurança, e como permanecer de pé em cima de um abismo, se nem meu próprio carpete é capaz de suportar o peso do sofrimento ? Eu só queria respostas para as perguntas que me atormentam. 

domingo, 22 de maio de 2011

Eu dizia amar o escuro, porém eu sempre dormia de luzes acesas, eu dizia amar brigadeiro, porém por diversas vezes que comi tive vontade de por tudo pra fora, eu dizia que amava correr, porém quando me viam correndo eu parava. Eu nunca disse que as palavras eram o que ainda me deixava de pé, mas eu nunca disse por medo de que elas deixassem de me sustentar.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Há um tempo atrás eu achei que seria o fim da minha vida, porque eu não sabia explicar ou até mesmo sentir aquilo que eu estava sentindo. Eu sabia de duas coisas, aquilo certamente estava me matando cada vez mais e não era algo saudável, minhas condições psíquicas não eram mais estáveis, meus olhos eram órbitas vazias só que não mais vazias do que meu coração. Isso se prolongou e eu sofri por mais tempo.. Até descobrir que se chamava amor. Eu senti ódio de mim mesma por amar alguém daquela forma, senti vergonha por amar aquela pessoa, senti medo por estar amando, mas não dei ouvidos ao meu coração e me entreguei ao amor. Quando eu já tinha certeza de que estava amando fui apresentada a incerteza de não ser amada, foi a partir daí que eu soube o que era sofrer de verdade. Não precisei de livros de auto ajuda, de conselheiros, nem de buscas virtuais para saber que aquilo seria o início de muitas outras dores.. Nunca estive errada em pensar assim. Sofri inúmeras vezes depois daquele primeiro amor, mas nessas outras vezes me preparei psicologicamente para isso, já que preparar o coração é algo em vão.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Meus olhos tomaram o lugar do meu coração e estão sangrando por ele, minha mente está sendo possuída pela palavra suicídio, os sons se distorcem antes de chegarem aos meus ouvidos e quando chegam me dizem para acabar com aquilo que tanto me atormenta, porém por incrível que pareça, as coisas que me atormentam são as que mais amo. Queria achar uma forma de controlar todas essas emoções, queria parar de cavar esse buraco tão profundo aonde nos próximos dias chamarei de lar, queria não sangrar quando estivesse morrendo, queria ter a chance de mudar tudo que fiz de errado. A loucura está me dominando cada vez mais, a tristeza a cada dia se aproxima mais de mim e eu nunca consigo recuar, eu nunca consigo parar de pensar que a morte nessas horas seja minha única saída, eu não consigo deixar de ser assim. Mórbida, esquizofrênica, sanguinária, rude, grossa, não há como viver quando o ódio e a falta de lucidez corroem juntos toda sua cabeça. O que me resta agora é preparar meu futuro lar e tentar descansar em paz no fim da minha vida.

domingo, 8 de maio de 2011

Por favor não achem que sou louca por apenas dizer o que quero, por favor não procurem meios que possam me calar, pois eles não serão eficientes e suficientes o bastante para isso, por favor não me excluam de seus meios apenas por eu sonhar que um dia poderei voar, por favor me ouçam quando lhes digo que vejo além do que meus olhos podem me mostrar. Por favor acreditem que cada um de nós podemos mudar alguma coisa no mundo, por favor não confundam trabalho com felicidade, o trabalho lhe trará apenas dinheiro e esse dinheiro não comprará sua felicidade. Por favor não chorem em vão, por favor não prometam sem saber se poderão cumprir, por favor não amem se não forem capaz, por favor não mintam quando podem falar a verdade. Por favor façam um esforço para que possamos mudar o rumo que nosso mundo está tomando. 

sábado, 7 de maio de 2011

O frio é meu amigo, a tristeza fica ao meu lado quando me sinto só, as lágrimas escorrem pelo meu rosto quando meu coração dói, as lembranças me atormentam e me fazem sentir falta de um passado que um dia ainda pude reclamar. Até algum tempo atrás a depressão me corroía, me atordoava, me obrigava a fazer coisas que nunca fui capaz de fazer, hoje a depressão pra mim já é comum, ela chega quando quer, se hospeda em mim e raramente pensa em partir. Minha aparência mórbida, meus pensamentos catastróficos, minha vida baseada em mentiras, foi assim que a tristeza de apossou de mim e a única coisa que podia me mostrar o que era a tal da felicidade, acabou me deixando.. E eu já esperava por isso, ninguém estaria disposto a conviver com um maníaco depressivo, um alcoólatra, ninguém nunca quis saber o que acontece em minha vida para que eu seja dessa forma. Aos olhos de todos sou um monstro, mas quando me olho no espelho sou incapaz de ver aquele monstro que todos têm medo, eu sou alguém que precisa conhecer o verdadeiro significado da palavra vida, mas ninguém me ajuda com isso.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Hoje meus ouvidos voltaram a perceber os sons, meus olhos se abriram e minhas palavras puderam ser proferidas novamente, infelizmente eu voltei a ver tudo como sempre vi, altas marés de tristeza vindo em minha direção, chuvas de desgraças caindo sobre mim e não há como eu evitar. Uma hora eu me recordaria de meu passado e antes o que eu fazia com medo de ser errado, hoje é incapaz de ser feito mesmo eu sabendo que é o certo, uma hora isso ia acontecer. Já me sinto tão cansada de lutar que me entregarei de uma só vez a melancolia, voltarei a compôr meus versos e eles se tornarão uma milonga, viverei minhas mentiras sozinha, sofrerei com uma chícara de café na mão, e se me perguntarem se estou sendo feliz, buscarei forças irreais em abrir um sorriso e dizer : - eu nunca deixei de ser feliz.. Irei forjar mais um sorriso, irei mentir sobre mais uma história, mesmo estando em pedaços por dentro. Hoje o que me restam são pedaços de um coração e esses pedaços não podem ser reaproveitados. 

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Os meus sentimentos de amor e carinho, foram levados por furacões desastrosos que aconteceram nesses últimos tempos e pra mim tanto faz se eles voltarão. O que aconteceu me trouxe uma visão panorâmica do que estaria para acontecer mais tarde, um leão ataca um pequeno cordeiro, mas depois o jogo se inverte e o cordeiro consegue se levantar e golpear numa só facada o coração do leão, poderia não acontecer nestas palavras, mas eu sei que a minha história teria um desfecho bastante parecido. Não estou me sentindo culpada pelo que fiz, mesmo não sendo o certo, para mim foi a única escolha, enquanto aos meus medos.. Sei que eles passarão, eles terão que passar. Fiz uma promessa a mim mesma de que não mais choraria, de que não mais sentiria medo, e essa promessa não pode ser quebrada. É algo perturbador que se passa em minha mente, que me obriga a fazer aquilo que apenas existia em meus pensamentos e hoje estão presentes constantemente em meus dias..
Não fiz algo de tão medonho, apenas arranquei com a faca de cozinha o coração de alguém que arrancou o meu com as próprias mãos, sem se importar se isso seria doloroso em mim.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Não sei o que me deixa mais atordoada nesse momento, se são as inúmeras garrafas de vodka que tomei, ou as inúmeras vezes que cai e não quis me levantar. É difícil de falar o que mais está doendo em mim nesse momento, os meus pensamentos catastróficos esquartejam minha mente, minha fobia pós luta está me matando, e a minha coragem está aos poucos se dissolvendo, assim como o sal dissolve na água. O clima de alegria deixou lugar para o mórbido constante, a força e coragem foram mutiladas pelo medo e fraqueza, o sorriso contínuo e o calor da felicidade foram expulsos de mim pelas lágrimas e o frio absurdo. Agora junte tudo isso com um maço de cigarro, vinte garrafas de vodka e uma chuva intensa, qualquer outra pessoa que se encontrasse na minha situação, cometeria suicídio, cortaria seus pulsos e teria um final feliz, mas eu não vou deixar com que isso tudo me derrube, eu não vim ao mundo para perder na guerra. As dores guardarei dentro de um saco chamado passado, a tristeza, o frio e o medo transformarei em força e coragem, no final de tudo será meu futuro salvo, porque eu consegui me levantar para correr atrás dos meus sonhos. Eu não vou desistir por nada. 

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Eu gosto das bebidas mais fortes, das drogas mais viciantes, tenho os pensamentos mais proibidos e insanos, as ideias mais complexas, as palavras mais fortes, os gestos mais expressivos, os sentimentos mais profundos, tenho as mentiras mais bem criadas, os planos mais infalíveis, e as ilusões para mim fazem parte de um contexto bastante diferente da minha vida. Fujo dos padrões considerados como aceitos pela sociedade e procuro me esconder naquele que mais me convém, não escuto calada, não falo sem ouvir, não questiono sem ser questionada, não aponto os erros de ninguém, somente os meus. Tenho uma auto-crítica bastante rígida, não sou do tipo de pessoa de correr atrás então não espere muito de mim, não se encante com meu rosto, nem com as minhas palavras, não se encante comigo. 

sábado, 23 de abril de 2011

" Aqueles olhos me devoravam famintos, parecia até que eles acompanhavam a pulsação de minhas veias. E aquela criatura me encantava e ao mesmo tempo que causava arrepios, porque alguém nunca tivera me despertado tanto encanto, não alguém como ele . Seu olhar era misterioso, sua pele era tão branca e fria que seria impossível passar despercebido e não havia calor que o fizesse ficar mais quente, ele nunca deixava de ser frio. Seus cabelos negros como a escuridão que o rodeava, seus caninos eram enormes e procuravam desesperadamente por algo que pudessem perfurar, mas isso não podia ser feito. Dias se passaram e eu continuava a observar aquele que passara a habitar a rua de minha casa, até que em um lapso de adrenalina me rendi aos encantos que aquele vampiro trouxe a mim, já não me importava mais o que ele poderia fazer comigo, só queria tê-lo ao meu lado para sempre, mesmo que o custo disso fosse a minha vida. "


Trecho do conto "Um amor de vampiro", feito por Rejane Alves.

domingo, 17 de abril de 2011

Era o dia 15 de julho de 1985 nascia uma garotinha linda, doce de cabelos negros e pele branca. Aquela garotinha era sozinha, os pais dela trabalhavam e enquanto trabalhavam ela ficava brincando em um pequeno caichote de madeira, pois seus pais não tinham condições para comprarem carrinhos de bebê. Ela foi crescendo num rio de humildade, até que quando estava perto de completar 12 anos aquela garotinha ganhou uma irmã, ah ela sentiu ciúmes, mas logo se alegrou. Sua mãe não tinha quem cuidasse da pequena recém-nascida então aquela garota cuidava da irmã com toda dedicação, ajudava no que era possível e logo após isso ia para a escola. E assim essa garota foi crescendo, foi amadurecendo e se tornando uma mulher, enquanto isso sua pequena irmã apenas a admirava, espantava-se com tamanha perfeição diante de seus olhos. Elas cresceram juntas, elas brigaram, elas riram, a irmã mais velha arrumou um primeiro amor e a mais nova se mordia de ciúmes, queria a irmã só para ela, e ai de quem se atrevesse em roubá-la. 
A partir do ano de 2006 algo começava a mudar naquelas vidas, o pai daquelas criaturas adoráveis era diferente dos outros pais, ele as culpavam de algo que não faziam, ele machucava o coração de sua mãe, e a irmã mais velha não ouvia tudo isso sem proferir nenhuma palavra.. Então assim se rendiam brigas e mais brigas, e a irmã mais nova só observava, ainda não era capaz de entender o que acontecia. 
Mais anos se passaram, as meninas cresceram e a irmã mais velha já estava com preparativos para se casar. Até que finalmente chegou o dia 22 de novembro de 2009, a irmã mais nova via com seus olhos lacrimejando aquela imagem perfeita de sua irmã entrando na igreja, ela não conseguia pensar em mais nada a não ser de como seria sua vida sem aquela pessoa estando ao seu lado 24h.
A cerimônia terminou e logo chegou a festa, estava animada, mas algo a aguardavam no final, seria a hora da despedida, a tão amarga despedida. A irmã mais velha com seus olhos extremamente molhados, sua voz falha proferiu as seguintes palavras: 


" eu não deixarei com que meu pai faça com você o mesmo que fez comigo, sempre que precisar eu estarei aqui nunca se esqueça disso. Eu te amo está bem ? "


A irmã mais nova não encontrava palavras para poder dizer algo, ela apenas chorava.
Se passaram dois anos, e a irmã mais velha hoje com 25 anos continua cumprindo o que ela sempre jurou fazer. Ajudar e proteger a irmã mais nova de 13 anos de quem quer que fosse.


Dedicado a Regiane Alves, minha irmã.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Na boa você pode achar o que quiser de mim, você pode falar o que quiser, porque por inúmeras vezes me criticaram e eu nunca abaixei a cabeça por isso, eu gosto, a inveja, a ignorância estão me motivando pra passar por cima de tais pessoas e está dando certo, até mais do que eu previa. Você pode apontar mil defeitos em mim, mas quando você for apontar minha qualidade ela será superior a qualquer defeito que eu possa ter, isso pode ser considerado excesso de superioridade, então vou passar a considerar as minhas atitudes assim, o mundo fez com que eu enxergasse dessa forma, achando que eu pudesse ser melhor.. E realmente eu sou ! Não tenho meus limites e se alguém me der uma prévia definição do que eles são, me recusarei a ouvir porque eu não aceito viver sendo rotulada. Aprendi a ser assim e não me arrependo de ter mudado e no dia que me arrepender, será no dia que vou ter desistido de tudo, mas esse dia nunca irá chegar. Você pode me julgar de orgulhosa, de mesquinha até de medíocre, mas no fundo você queria ter essa coragem e essa falta de censura na mente de poder abrir a boca e falar o que bem quiser e de quem bem entender, porque não tenho medo e mesmo se tivesse fingiria não ter. Eu não ligo mais para a opinião do mundo, mesmo que a voz do mundo seja voz de quem eu amo. Não me importa mais ! 

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Eu quero contar a história da minha vida de uma forma bem rápida, espero que seja possível... Pois bem, certa vez fui em uma festa com meus amigos, tinha pessoas legais, mulheres bonitas. Meus amigos resolveram então me apresentar para aquela que iria me fazer sentir as melhores sensações da vida, mas de uma certa forma essa minha paixão iria me tornar um viciado, seria doentio. Depois da festa eu fiquei pensando no dia em que eu a encontraria novamente, eu já estava ficando maluco, pois eu queria ver mais uma vez aquela que tomaria conta de mim, capaz de me fazer sofrer alucinações. Eu a encontrei, meus olhos brilhavam, meu corpo tremia, era um holocausto de sensações, mas eu sabia que ela era traiçoeira. Me perdi completamente nas mãos do alcóol e da cocaína. E hoje, hoje é meu último dia de vida graças a paixão viciante pelas drogas que meus amigos me apresentaram.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Hoje eu acordei com uma sensação absurda de perda, senti como se todos os meus sentimentos se resumissem a um só, a dor ! E que dor eu estou sentindo, ela me consome, ela me devora, toma conta de mim por completo, me deixa incapaz de imaginar uma outra cena sem ser aquela em que estou perdendo alguém que amo, ou estou perdendo a mim mesma. Por que a dor me persegue ? Por que ela só se aloja em mim ? Em já não sei se consigo suportar esse fardo tão pesado, já não sei se ainda consigo me olhar no espelho e não sentir uma intensa vontade de quebrar aquele reflexo monstruoso que vejo. Eu tenho tantos sonhos, eu amo alguém de uma maneira tão linda, eu não queria que tudo isso acabasse porque fui fraca de não aguentar a dor que tanto me consumia. Já é uma realidade pra mim conviver com o sofrimento, ele as vezes vai embora e não me diz ao certo quando volta, mas ele sempre vem na hora que a felicidade está tentando me conquistar.. Ele sempre a interrompe.

sábado, 26 de março de 2011


Eu ganhei ingresso pra assistir de camarote o filme de drama da minha vida, eu fiz uma história linda e depois quando eu já havia me cansado dela fiz com que isso se desmoronasse, e eu acompanhei tudo isso com um cigarro e uma garrafa de vodka na mão, belo desfecho para aquilo que eu imaginei que teria um final magnífico. E mais uma vez eu quebro a cara achando que eu poderia amar de verdade, achando que eu teria amigos de verdade.. Sabe o que mais me irrita ? É que quanto mais eu caio, quanto mais eu sofro, mais eu insisto em fazer a mesma coisa. Acho que, não, eu tenho certeza que se eu sumisse por um dia ninguém iria se importar, não aquelas pessoas que eu queria que se importassem. Isso é desastroso, isso é inexplicável, isso foi a colheita daquilo que eu plantei.. Eu vou assistir esse tal filme e o que mais me deixa curiosa é como será seu final, porque eu acho que ainda não tive tempo de escreve-lo.

domingo, 20 de março de 2011

  Em teus olhos eu vi escrito tudo aquilo que tu nunca foi capaz de entender, em minha mente por muito tempo se passaram as imagens do dia em que você foi embora e nem se quer me explicou o motivo, e por anos eu me perguntei o porquê de tudo isso, eu não dormia, eu não comia, eu não vivia mais. Você já era mais que uma dependência para mim, você já tinha se tornado um vício, e eu sabia que os vícios por mais constantes que eles pareçam ser um dia conseguimos deixá-los, nem que seja o nosso último dia de vida. E assim o tempo se passou, meu amor era mais forte que qualquer outra coisa, mais viciante que qualquer outra droga, e mais intenso do que qualquer outra dor que eu pudesse sentir naquele momento. Pelo menos eu sabia de uma coisa, tu nunca me deixastes porque querias, tu nunca tivera coragem o suficiente para isso, e  tu não és o único, pois também não tenho essa coragem para conseguir te esquecer. Da onde irei buscar tal força e coragem ? Se dentro de mim não existe nem a metade do que preciso. 

segunda-feira, 14 de março de 2011


Nos dias de hoje o que mais me faz rir , é o tamanho da inveja das pessoas , é algo tão absurdo que chega a ser engraçado , o que essas pessoas têm na mente quando desejam criticar da forma mais ignorante alguém ? Nessas situações só o termo "idiota" pode descrever tais pessoas. A inveja , ela te domina por completo , ela lhe causa ciúmes , ela lhe faz se sentir melhor que qualquer outra pessoa , mas sabe o que você pode fazer com esse seu excesso de grandeza ? Faça uma bola bem grande e engula , ou melhor faça o que for de sua vontade , mas por favor não seja ridículo ao ponto de criticar alguém por conta disso , porque no seu interior o que você mais deseja é estar no lugar da pessoa que você está criticando . Pessoas assim me causam constrangimento até de falar , mas enfim , eu gosto de expor as minhas ideias em relação a falta de educação de certas pessoas , eu falo do que quero , sobre quem quero , e da maneira que eu quero . Se não gostar , feche a página e não atormente minha vida .
1bg pra guria que criticou as últimas postagens *o*

sábado, 12 de março de 2011

 O amor que eu sinto por você eu tenho certeza que ninguém nunca vai sentir , eu sei que muitas falaram o mesmo que eu , mas eu sei também que todas elas que juraram te amar pra sempre , te amaram apenas um , dois meses , eu jurei te amar , mas não por esse tempo , eu jurei te amar por toda eternidade , enquanto meu coração estiver bombeando sangue pra me deixar viva , eu estarei te amando . Você pode até em certos momentos me odiar , sentir uma vontade profunda de acabar com tudo que já construímos , ou pensar que essa história que estamos escrevendo está sendo em vão , mas eu te peço que por favor , não desista de mim , não desista de tentar me entender , por favor não desista do nosso amor . É algo tão bom , tão perfeito , que as vezes eu penso que estou imaginando , que você é o meu príncipe encantado que chegou num cavalo branco , e está me acordando de um sono profundo e me fazendo viver num sonho perfeito . É muito bom acordar todas as manhãs e saber que tenho você , a qualquer instante , basta eu me deslocar numa mera distância e ir de encontro aos teus braços . Quero que saiba que você está me fazendo a pessoa mais feliz do universo , que as brigas que temos , os desentendimentos , nunca , nunca irão fazer com que meu amor por você diminua , eu já disse uma vez e volto a repetir , se depender de mim morreremos juntos .
      Eu te amo Wellington s2

segunda-feira, 7 de março de 2011

Eu queria que essa dor parasse de me perseguir , que esses sonhos parassem de me vir a mente , eu queria que as pessoas se dessem conta que também sou humana , que também erro , e que talvez eu ainda esteja na minha metamorfose . Porque eu não sei conter meus erros , não sei segurar minhas emoções , não sei calar minhas palavras . Eu não consigo caminhar descalça e é por causa disso que vou ser julgada ? Eu não sei amar e é por causa disso que ninguém nunca se atreverá a me amar , e fazer com que eu aprenda também ? É impossível impedir que um turbilhão de holocaustos me derrubem , é impossível mover minhas pernas quando elas estão acorrentadas a dor , é impossível tentar enxergar quando o medo com suas mãos ásperas e esdrúxulas me cegam . Eu queria voltar a ser aquela garota que achava que seria uma vitória aprender a nadar , que sentiria a pior dor do mundo quando não ganhasse brinquedos de presente , eu queria voltar a achar que ninguém nunca me faria sofrer , mas infelizmente essa é a minha realidade agora , relembrar do passado e sentir uma enorme vontade que esse passado pudesse novamente ser o meu presente .

sexta-feira, 4 de março de 2011

Os meus versos se calaram , a minha escrita já não é mais a mesma , meus pensamentos mudaram talvez ninguém mais me reconheça . Eu deixei de acreditar em promessas , eu deixei de achar que alguém poderia mudar minha vida , e eu esperei ansiosamente até o dia de hoje que alguém mudasse algo , nem que fosse algo pequeno , mas ninguém nunca mudou . Todos se aproximavam de mim com falsos sorrisos , falsas promessas , eles me iludiam com mentiras , e eu era tão infeliz que todas as vezes que mentiam pra mim eu acreditava . E isso se prolongou por um longo tempo , tempo o bastante que fizesse com que meu coração já não se aguentasse mais , a saudade de quem partiu e prometeu nunca partir , a dor de quem me fez chorar e prometeu nunca fazer , a tristeza por descobrir que me mantive tantos anos com os olhos fechados , imaginando que assim eu enxergaria o coração dos outros , foram apenas tentativas em vão . Agora que já sei de tudo isso , espero recomeçar de outra forma , de uma forma que as pessoas não consigam me iludir e me fazer sofrer .

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

As vezes parece que tudo vai desmoronar em cima de mim, e infelizmente não tenho para onde correr , não existem esquinas aonde posso me esconder , nem pequenas caixas aonde posso guardar um pouco de meus medos e minhas inseguranças. E essa onda de depressão que me atinge nunca me deixa nadar de volta a alegria , é tudo um grande ciclo sem fim , as pessoas me usam , me magoam , e quando já não tenho mais nenhuma utilidade , elas me jogam fora , mais uma vez como lixo . E sinceramente eu já não sinto mais por isso , eu já sofri tanto , eu já caí tantas vezes , já me feri , e isso nunca me matou , me deixava em pedaços , mas o tempo me fazia juntar esses pedaços e eu recomeçava mais uma vez aquilo que eu já sabia como seria o final , e tudo continua . Talvez agora seja só mais uma fase ruim , vou sofrer , vou me despedaçar , vou me iludir e no final vou acabar no chão em pedaços , mais uma vez .


Rejane Alves.
Vamos juntar tudo que está acontecendo e ver quem é o culpado de que , se vivemos numa sociedade corrupta , se vivemos num mundo aonde os exploradores se beneficiam e os explorados não menosprezados , a culpa é de nós mesmos , alguém , em algum dia fez com que aquela balança de valores morais despencasse , e com essa queda tudo veio a tona . Construímos um sistema falho , submerso por imoralidades e tais imoralidades fazem com que esse sistema seja cada vez mais reprimido pela sociedade , mas não basta apenas criticar , temos que derrubar aqueles que estão no poder desse sistema . Porque enquanto pessoas morrem , passam fome , os que estão no topo desse sistema pouco se importam pra isso , eles estão sentados em suas cadeiras de luxo compradas com o dinheiro dos pobres medíocres que ainda acreditam em falsas promessas .

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Acorde as 5h da manhã e não reclame de sono , reclame do sol que ainda não nasceu , trabalhe o dia inteiro e a noite não perca seu tempo em reclamar do cansaço , gaste esse tempo agradecendo a Deus por ter lhe concedido mais um dia de luta e você sobreviveu mais uma vez a essa luta . Guarde suas ofensas pra si mesmo , e não preocupe-se com o que dizem de você , seja melhor , ajude quem precisa , abrigue quem precisa de um teto , dê comida a quem tem fome , ame aquele que mais precisa de amor . Não mate , não bata , não brigue , não ofenda , não menospreze , não desista de sonhar , não se entregue a dor , não temas por amar , não sofra  , não chore por tristeza , não desista de viver .

Rejane Alves.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Podemos nos esforçar pra tentarmos ser melhores , podemos nos esforçar pra não chorarmos quando sentimos dor , mas nunca nos esforçaremos o bastante para apagarmos um erro , é algo extremamente fácil de se fazer e praticamente impossível de ser desfeito. Todas as vezes em que tentei , as tentativas foram em vão , então deixei com que o tempo levasse , deixei que ficasse no passado e no futuro eu jurei que não faria igual .


Rejane Alves.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ela não era uma garota comum, ela sempre foi a garota do grande sorriso, tão grande e tão belo que poderia iluminar toda uma cidade, sem nenhum esforço. Ela viveu tempos com intensidade, e tal intensidade as fez parar em algumas etapas da vida, mas nada que a impedisse de continuar a viver. Ela vive com prazer e ama tudo que tem, ela tem mistérios, mas mistérios que todos desvendam, pois sua face não sustenta por muito tempo a expressão de pessoa séria, sua face sempre está iluminada com aquele sorriso invejável, talvez ela nem chore, pois suas lágrimas são barradas pela força de um sorriso de esperança. Ela ama, e talvez ela esteja errada em amar quem ama, mas o que aquela menina pode fazer ? Ela não manda em seu coração, ela já perdeu seu amor, uma vez , e ela faz de tudo para não perde-lo novamente, e por mais que ela queira desistir ela vai continuar tentando, ela vai continuar tentando reconquistar aquele coração que um dia já esteve em suas mãos , e ela o deixou cair .

Dedicado a Maria Vitória s2


Rejane Alves.

No dia de hoje ,eu paro e penso , para que amar ? Eu não sei a resposta , pois meu coração cansado de sofrer , amar não sabe mais , nem aos amigos ,nem aos amores perdidos
Para que amar ? Pra se entregar a pessoas que não merecem ver uma lágrima dos teus olhos caírem , pessoas que para conseguir viver se satisfazem te fazendo sofrer . Hoje eu penso que amigos são só para quando estamos felizes , pois quando mais precisamos, aqueles que mais amamos , nos trocam por outros e a cada dia nos deixam mais tristes , de chegarmos ao ponto de não conseguirmos mais olhar para eles , aqueles amigos falsos que só nos usa e joga fora ou pior, eles se sentem bem quando nos veem chorar , a cada lágrima nossa é um sorriso deles , a cada palavra de tristeza nossa , uma expressão de alegria deles .Quando não se acha mais esperança , quando se procura amigos e não se acha , por algum motivo as boas pessoas aparecem , encontramos amigos verdadeiros , que sempre estarão conosco e que nunca nos desapontarão . Antes de desistir de ser feliz , acredite que existem amigos verdadeiros , que todas as vezes em que estivermos caindo , eles já estarão deitados para amortecer nossa queda . 


     Créditos a Tamires Diniz s2

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

As vezes eu queria gritar para todos ouvirem o quão grande é o meu amor , e dizer ainda mais alto que não é algo temporário , que um dia vai acabar , porque esse amor se renova a cada dia . E por mais que ele pareça ser doentio , realmente pode até ser , mas eu não me importo , porque eu não sinto vergonha de amar loucamente , eu não sinto vergonha de dizer a todos que o meu amor vai se prolongar por muito tempo. O que digo é algo apenas superficial , meu amor é demonstrado de todas as formas possíveis , mas infelizmente ele só pode ser reconhecido virtualmente . É triste você amar pessoas , que não fazem ideia de que você existe , e é mais triste ainda saber que nesse mundo todo existem pessoas que amam bem menos que você e são reconhecidos , mas eu nunca vou desistir de tentar , em algum dia , em alguma hora vocês vão ver que eu os amo mais do que qualquer outra pessoa pode os amar .
Fresno s2



Rejane Alves .

Dedicado a Nathália que ama Tokio Hotel *o*

Hoje é meu último dia , e nesse último dia eu queria fazer tudo que ainda não fiz nos últimos anos, eu amei perdidamente alguém que nunca direcionou os olhos a mim , eu amei alguém que eu nunca tinha visto , que eu nem sabia se era real , eu chorei , chorei muito , e de tanto chorar eu acabava me entregando ao sono e aos pesadelos , e isso aconteceu por muito tempo , tempo o bastante pra eu saber que isso de uma forma já estava se tornando uma doença , e sabe-se lá se essa tal doença tem cura . Eu quero sentir o calor do sol , e não mais os ventos frios e violentos trazidos pela chuva , eu quero sorrir , quero gargalhar , quero viver esses últimos momentos , como se fossem meus últimos momentos de vida . Hoje é o meu último dia de tristeza , hoje eu jogarei tudo aquilo que um dia me fez chorar, dentro do lixo , hoje eu deixarei de ser uma menininha mimada que ama e chora , que cresce , mas não muda , hoje eu enxergarei que estou me tornando uma mulher . Hoje é o meu último dia de depressão !
O que nos tornará melhores ? Nossas atitudes , nossas palavras , nossos erros , nossas mentiras reveladas ? Aliás o que é ser melhor ? Infelizmente eu ainda não sei , e sei que estou longe de descobrir , não me esforço para me tornar melhor , pra que eu faria isso ? E o que eu ganharia com isso ? Ninguém irá me ver com olhos melhores , nem deixarão de pensar más coisas ao meu respeito . Talvez seja um erro falar que não se consegue algo sem antes tentar , mas no meu caso eu não tento mais por causa do cansaço , cansaço de todos os dias tentar me tornar algo bom , e todas essas tentativas serem em vão . Isso até um ponto me afetava , eu me auto-excluía do mundo , mas agora eu não preciso mais fazer isso , porque o mundo já me auto-exclui . Porque aqui os fortes lutam , e os fracos desistem , e a cada dia por mais que eu não queira , eu estou me juntando aos fracos .

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Eu queria profundamente estar errada sobre o que vi hoje , eu queria acreditar que aquilo que vi , foi uma projeção , uma imagem distorcida , um colapso de imaginação , mas infelizmente eu vi . Mais uma vez eu vejo a mesma pessoa sendo esfaqueada , mais uma vez eu presencio uma cena de horror , e de tanto horror , eu acabo sendo mais uma das estrelas ou vítimas do filme , mais uma vez eu volto a escrever sobre aquilo que tanto me dói lembrar . Ver alguém que um dia amei , sendo mais uma vez trocado por lixo , talvez se você estivesse sendo realmente esfaqueado doesse menos . Depois de ter visto tanta frieza , e ter ouvido tanta ironia , voltei pra minha casa , e o mais incrível é que enquanto via aquela pessoa que um dia eu tanto amei , sendo desprezada , meu coração latejava de dor , parecia que uma faca estivesse acabado de ser cravada em meu peito , e quando me olho no espelho eu vejo as marcas em minha pele , daquela faca que ao invés de te matar , acabou matando a mim . 

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

É incrível como nossa sociedade pode dizer com tanta franqueza de que estamos evoluindo , de que estamos construindo um mundo melhor , isso só deve acontecer aos olhos deles , porque diante dos meus não é isso que se passa . Muitas vezes nós achamos que porque hoje existem meios mais eficientes de comunicação quer dizer que vivemos numa era melhor , mas não estamos . Eu preferia nem ter nascido , não queria ver tudo que vejo hoje . Futilidades se chovem aos montes , discriminações dominam pessoas medíocres . Só porque somos de raças diferentes , nos vestimos diferente ? Por esses motivos temos que bater , matar , torturar gente que nunca fez mal nenhum a ninguém ? Xingar alguém de feio , nunca deixou nem nunca deixará ninguém mais bonito , ver apenas os defeitos dos outros , não vai fazer com que os nossos sumam . Nossos pensamentos evoluíram muito no decorrer dos tempos , antigamente uma atitude simples de ajuda , era reconhecida pelo mundo , hoje essa atitude nem é percebida , porque as pessoas deixaram de acreditar que o que gera riqueza é a gratidão , não o desprezo , e que ajudar alguém não faz vergonha , faz exemplo . Infelizmente nós estamos decaindo , e por mais que um terço do mundo pense dessa forma , seremos poucos para poder mudar a opinião de tantos que nunca ouviram isso . Se agora estamos do jeito que estamos e não há mais solução , amanhã todos já terão desistido de nós .

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Não escuto mais ruídos , porque não ouço mais tudo aquilo que me dizem , não falo mais palavras belas , pois muitas das vezes em que as falei, de belas viraram sons insignificantes . Não enxergo mais , porque vejo que não é preciso ter olhos abertos para deduzir o que aconteceu , acontece e está para acontecer .  Não ouço , não falo , não enxergo , e se depender da minha pouca vontade , deixarei também de caminhar , pois não quero pisar naquele pouco gramado que ainda me resta . Ligarei a tv , e de hoje por diante me prenderei somente a ela , ela não mentirá pra mim , dela só ouvirei aquilo que for de minha vontade , pra ela só falarei quando as minhas palavras realmente não se tornarem resto , ela só me mostrará aquilo que minha mente procurar e meu coração sentir que deve ser visto . Talvez eu não esteja certa , mas estou aprendendo que no mundo onde vivemos , máquinas nos dão mais valor do que os próprios humanos . As máquinas não nos enganam , ao contrário de muitos de nós ..

sábado, 29 de janeiro de 2011

Não me importa por quanto tempo mais eu tenha que andar para poder permanecer viva , não me importa se andarei debaixo do sol forte , ou debaixo da chuva intensa , o que importa é que nunca deixarei de andar , nunca deixarei de correr atrás dos meus sonhos , por mais irreais que sejam eles . Não me importa se ninguém irá acreditar que posso lutar sem precisar de ajuda, não me importa se todos duvidarem de mim . A única coisa que sei , é que nunca irei desistir , por mais cansada que eu esteja , nunca me deixarei levar pelo egoísmo alheio . E assim seguirei a vida ..

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Em algum dia tudo irá mudar , os rios secarão , os ventos virão em nossa direção com intenção de lutar , as chuvas cairão para nos machucar . Em algum dia nada mais irá sustentar tanto ódio , tantas ofensas , tanto preconceito , em algum dia o calor deixará de nos aquecer nos dias frios , pra nos crucificar nos dias mais quentes , e ir nos matando pouco a pouco , assim como nós fizemos e continuamos a fazer com aquela casa que nos abriga . Um dia alguém se dará conta que já não há mais o que fazer , que já acabamos demais com tudo , e o que restou está se misturando com o já poluído , e não nos resta mais nada , nada além do que nos sentarmos e observarmos de camarote o espetáculo de destruição , que nós mesmos  o dirigimos .
 Eu não escreverei tragédias , enquanto não ocorrer nenhuma a vista de meus olhos , eu não escrevei mentiras , enquanto em minha mente permanecer apenas as palavras verdadeiras e em meu coração o ódio contra o falso . Eu não chorarei , eu não sofrerei , eu não mais irei viver . Eu não continuarei a compor se meus versos e melodias voltarem a ser uma milonga , eu não farei questão de enxergar se os meus olhos apenas se voltarem para a destruição , eu calarei minha boca todas as vezes que eu estiver errada , eu taparei meus ouvidos todas as vezes que estiverem errados . Eu deixarei de andar se o asfalto não mais suportar o peso da luta que carrego nas costas , eu deixarei de dormir se todas as vezes em que fechar meus olhos , pesadelos me assombrarem . Eu deixarei de viver se algum dia escrever as minhas tragédias e os meus pecados . Not today , not now !